quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Crônica de eu...



Era ela mais uma vez. Sempre essa estranha dentro de mim, eu, a outra, tudo na mesma casca. Ela sempre volta quando menos preciso, quando começo a me reerguer ela vem, imperiosa, reclamar seu lugar. E como ela é forte...
Chegou e eu nem percebi, quando me dei conta já estava instalada. Atirou meus planos pela janela, e me atirou mais uma vez no vazio, a pensar que eu nada sou. Por que ela sente prazer com isso? E o que é mais intrigante neste sadismo, é que ela, ela sou eu...

4 comentários:

Rozane Suzart Gesteira disse...

eba!! Blog!!!!!!!!!

Ana Paula Albuquerque disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk

Lucy in the sky... disse...

Foto massa!
Rs Rs Rs .... Quando "ela" chegar, faça as pazes, já que não pode matá-la. (rs)
Brincadeiras inseridas, legal seu "momento".

Ana Paula Albuquerque disse...

ihhh Lu, este é um momento constante em muitos dias do ano... Quanto a "fazer as pazes" difícil, pois ela não negocia... Mas aprendi algo importante: entendê-la... isso me salva da morte (qualquer que seja ela).